15 de jan de 2015

Marituba sofre com abandono completo

Marituba sofre com abandono completo (Foto: Elcimar Neves)

A falta de saneamento básico na Rua Nove de Julho, no bairro do Uriboca, em Marituba, que dá acesso à Alça Viária e a alguns empreendimentos comerciais é a principal reclamação de centenas de moradores do local. O cruzamento entre as Ruas Nove de Julho e Aracanga foi o cenário de um tiroteio no último dia 27 de dezembro que terminou na morte de uma idosa que acompanhava de longe a filha que ia para o trabalho, o que está ligado a outra insatisfação da população: a ausência de segurança pública.

As histórias de assaltos e até de tragédias não são poucas. E a área do entorno sugere perigo e abandono. A Rua Nove de Julho, de piçarra, possui 50 metros de bloquete na entrada, colocados por iniciativa privada, mas o restante dela apresenta muitas deformações e declives que até para condutores de carros é difícil trafegar.
De motociclista ou a pé, os perigos também são eminentes. “Moro na Rua Nove de Julho, no sentido de quem sai da Alça Viária, ela fica no final. Saio cedo para ir para o trabalho que fica nessa mesma rua e mesmo de moto, não escapei do atoleiro, o que não é muito difícil porque as poças de lama são imensas e nem sempre conseguimos desviar quando está tudo coberto. Agora para não cair de novo no buraco, o jeito que encontrei foi dar a volta na Rodovia BR-316, perder mais 45 minutos para chegar até o início desta rua”, contou Jacielle Almeida, moradora.
Apesar de a Prefeitura de Marituba, através de sua assessoria de comunicação ter informado por nota que foram instalados cinco mil novos pontos de luz nas ruas, a moradora Maria Aparecida Miranda, 49, criticou a iluminação da rua. “Aqui é um matagal. Tudo fica no escuro à noite. Essa rua consta como asfaltada no mapa da Prefeitura, mas não é essa a realidade. Então, cadê o dinheiro? Prometeram asfaltar no verão e até agora nada foi feito. A gente passa por problemas nas duas estações: no período de sol e de chuva. Em tempo de verão, a poeira é a grande vilã. Estou com um quadro alérgico por causa disso. E no inverno, a rua fica alagada, escorregadia e cheia de buracos”, descreveu Maria Aparecida Miranda.
“Não queremos um servicinho de limpeza, e sim uma solução para os nossos problemas. Estamos cansados de promessas. Faltam segurança e saneamento básico. Temos que pagar nossos impostos da mesma forma que a Prefeitura deveria cumprir com seu compromisso em investir o nosso dinheiro. O que o povo quer é que eles cumpram com o que foi prometido durante as eleições”, declarou a moradora.
>> Moradores temem pela vida ao sair de casa
O aposentado José Ribamar, de 71 anos, é outro morador insatisfeito com a situação das ruas. Ele mora na Rua Aracanga e é irmão da mulher que foi vitimada por uma bala perdida em dezembro naquele cruzamento. “Eu vim para cá ainda jovem e hoje estou com 71 anos de idade e nunca vi nenhuma melhoria nessas ruas. Eles dizem que nossas casas não são registradas, mas o IPTU tem todo ano e somos obrigados a pagar. Mas saneamento básico não tem”, desabafou.
“Há pouco tempo mataram minha irmã aqui nessa rua e o caso ficou sem solução. A gente vive abandonado. As crianças não brincam na rua. A gente sai para trabalhar e não sabe se volta. Todo dia tem alguém que é assaltado”, contou José Ribamar.
Jorge Luis Sampaio trabalha no centro de Belém e para chegar no horário, ele sai de casa todos os dias por volta de cinco horas da manhã e fica preocupado com os riscos de assaltos. “A gente é obrigado a correr muitos riscos. Muitas vezes utilizamos mototáxi para chegar até a parada de ônibus que fica mais de 100 metros da rua porque andar a pé não é aconselhável”, disse.
RESPOSTA
Em nota enviada à redação no dia 7 de janeiro, dia em que a reportagem esteve no local, a Prefeitura de Marituba informou que a Secretaria de Obras do município está em três frentes de trabalho, dentre elas no Bairro Uriboca, que compreenderia as ruas 9 de Julho e Aracanga. Diz a nota que o maquinário estaria trabalhando na Rua Amaro de Freitas na última semana e logo após o término, as obras seriam iniciadas nas ruas 9 de Julho e Aracanga. Porém, em contato com um morador, veio a informação que até a manhã de ontem nenhuma viva alma da prefeitura de Marituba havia dado as caras por aquelas bandas para iniciar qualquer serviço. Quanto à segurança, a Prefeitura esclarece que a Guarda Municipal de Marituba tem contado com o apoio da Polícia Militar que tem feito rondas ostensivas no município.
(Diário do Pará)

About