4 de nov de 2015

Defesa Civil de São Miguel treinará voluntários para Círio 2015

A Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil. Realizará nos dias 06, 07 e 08 de Novembro, treinamento para todos os voluntários da Defesa Civil que atuarão no Círio 2015.

Local: Cerâmica Yokoyama

Início : 22h do dia 06 / 11

Término : 16h do dia 08/ 11

Informações e inscrições na Defesa Civil

Endereço: Complexo três pinheiros
Fone: 98215-4747

Participe! Seja um voluntário!

27 de out de 2015

Grande asteroide passará pela Terra no final do mês


Rocha espacial fará máxima aproximação pouco mais de três semanas após ter sido descoberta, mas não há qualquer risco de impacto.

Houve muita celeuma nos sites sensacionalistas e irresponsáveis de sempre, quanto a uma suposta ameaça cósmica contra a Terra em setembro último. Como sempre acontece com previsões catastrofistas desse tipo, absolutamente nada aconteceu. Contudo, em 10 de outubro último foi descoberto, pelo telescópio Pan-Starrs no Havaí, o asteroide 2015 TB145. Com seu acompanhamento por parte dos astrônomos, já se sabe que ele tem entre 290 a 650 metros de extensão, e passará, em 31 de outubro próximo, a cerca de 500.000 km da Terra.

Essa distância é somente um pouco superior aquela da Lua, mas não há qualquer motivo para alarme, pois o risco de impacto é nulo. Essa será a passagem mais próxima de um asteroide de grande porte até 2027, entre os astros desse tipo. A NASA presente observar a rocha espacial via radar, utilizando a antena do Complexo de Comunicações do Espaço Profundo de Goldstone, na Califórnia. O radiotelescópio de Green Bank, na Virgínia Ocidental, e o de Arecibo em Porto Rico também serão utilizados na tarefa. É uma oportunidade valiosísisma a fim de estudar esses corpos, que já impactaram a Terra no passado.

Por passar na época do Halloween, o 2015 TB145 está sendo chamado de Spooky, ou assombrado. Ele estará a uma velocidade de 125.500 km/ durante a passagem próxima por nosso planeta, e é considerado um dos melhores alvos para exploração via radar dos últimos tempos. A comunidade de observação astrônomica Slooh (confira link abaixo) irá realizar um webcast em 31 de outubro, às 17h00 GMT, para os interessados em acompanhar a passagem. O asteroide tem uma órbita de três anos ao redor do Sol, que o leva mais próximo da estrela que o planeta Mercúrio, e o ponto mais distante está a meio caminho da órbita de Júpiter.

VIGIANDO OS CÉUS EM BUSCA DE AMEAÇAS

Um dos dirigantes do Slooh, Paul Cox disse que: "Dá medo saber que um asteroide desse tamanho, e se aproximando tanto da Terra, foi descoberto somente 21 dias antes de sua maior aproximação, e que coincidentemente acontece no Halloween. Nossos membros estão rastreando o 2015 TB145 para diminuir a grande incerteza quanto a sua posição, tamanho e órbita. Não podemos perdê-lo de vista, como já ocorreu no passado". O Spooky causaria severos danos em qualquer lugar que caísse, e por comparação estima-se que o objeto que caiu em Tunguska em 1908 tinha somente 40 m, cerca de 10% de seu tamanho. Felizmente, os modelos atuais apontam que mais de 95% dos asteroides de 1 km ou maiores, que poderiam ameaçar a civilização terrestre, já foram descobertos, e nenhum está em curso de colisão com a Terra.

Fonte: Revista Ufo

6 de set de 2015

DESAPARECIDO

Daniel Sares, natural de São Miguel do Guamá, está desaparecido desde as 11h da última sexta-feira (4).

Quem tiver informações, entrar em contato pelos fones; (91) 983717070

15 de ago de 2015

Hoje é dia de vacinação contra a poliomielite

Doença que pode matar ou causar paralisia infantil, a poliomielite foi erradicada no Brasil em 1990, quando deixou de ser registrada graças à oferta das vacinas. Entretanto, em alguns países da África e Ásia ainda há registros da doença. Por esse motivo, a imunização contra o poliovírus, causador da doença infecto-contagiosa, continua sendo de grande importância.

O Dia “D” de Mobilização Nacional contra a Poliomielite está sendo realizado hoje nos 144 municípios paraenses. Segundo a coordenadora de imunização da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), Jaira Athaíde, a campanha segue até o próximo dia 31 e tem como meta vacinar 666.157 crianças.

ATUALIZAÇÃO

Jaira explica que, durante a campanha, será verificado se o esquema vacinal das crianças de seis meses a 5 anos de idade está incompleto. Com isso, será feita a atualização para resgatar a cobertura vacinal desse público. A Sespa terá 3.306 postos fixos, 360 volantes e 74 fluviais no dia de hoje. No restante da campanha, as ações de multivacinação continuam nos postos de saúde. A vacina contra a poliomielite será aplicada em gotas, indicada para crianças entre seis meses e menos de cinco anos.

É importante que os pais levem seus filhos que estejam dentro do público alvo até os postos de vacinação para reforçar ou atualizar o esquema vacinal. “É indispensável que a criança esteja com o esquema vacinal em dia para renovar a proteção contra a poliomielite. A pólio é muito grave, pode matar ou deixar sequelas para o resto da vida”, alerta Jaira Athaíde.

COBERTURA VACINAL

Para a atualização vacinal de crianças estarão disponíveis doses da BCG (contra as formas graves de tuberculose); vacinas contra febre amarela; hepatites A e B; menincocócica C; oral de rotavírus. Também estão sendo ofertadas a Pentavalente (previne difteria, tétano, coqueluche, infecções por Haemophilus influenzae B e hepatite B); Pneumocócica 10 valente (protege de bactérias tipo pneumococo, causadoras de doenças como meningite, pneumonia, otite média aguda, sinusite e bacteremia); Tetraviral (contra sarampo, caxumba, rubéola e varicela) e Triviral (sarampo, caxumba e rubéola).

(Pryscila Soares/Diário do Pará)

14 de ago de 2015

Preservativo promete matar HIV

Uma empresa de biotecnologia da Austrália "Starpharma" afirma ter criado o preservativo capaz de eliminar até 99,9% dos vírus HIV, herpes e até o papiloma vírus humano, o HPV.

De acordo com informações do site R7, o preservativo se chama VivaGel e a contestação teria vindo após testes.

Ainda segundo a publicação, o produto já recebeu recibo de Conformidade de Certificação de Avaliação do Australian Therapeutic Goods Administration - um certificado semelhante ao fornecido pelo Ministério da Saúde do Brasil - possibilitando a produção em massa.

Com isso, o preservativo, o primeiro já desenvolvido com essa função, deve estar disponível para compra nos próximos meses.

Os preservativos são lubrificados com VivaGel, um medicamento que contém 0,5% de astodrimer de sódio - projetada especificamente como um composto contra o HIV. Espera-se que o gel ajude a reduzir a transmissão do temido vírus da AIDS e outras doenças sexualmente transmissíveis, além de reduzir o risco de gravidez.

(DOL com informações do Portal R7)

12 de ago de 2015

Eleição no Conselho Tutelar

O Processo de Escolha Unificado para membros do Conselho Tutelar, vem sendo fiscalizado pelo Ministério Público, o CMDCA vem se reunindo sistematicamente e após a divulgação do resultado da prova ocorrida ontem (11), o processo de votação ocorrerá no dia 04 de outubro das 8 as 17hs... Este Processo É de grande importância para munícipes de São Miguel do Guamà, tendo total apoio da SEMTEAS e prefeitura municipal. Garantindo assim, que nossas crianças e adolescente tenham garantido a proteção integral conforme disposto no ECA. Ressaltando que a aplicação da prova ocorrida ontem (11) pela manhã foi de grande êxito.

9 de ago de 2015

Governador Jatene acusado de fraude

A denúncia é grave. O governador Simão Jatene pretende entregar quase R$ 200 milhões a um empresário acusado de comandar uma quadrilha de fraudadores de seguros de acidentes de trânsito. Uma licitação de R$ 198 milhões, realizada no dia 17 de junho, foi vencida por Alberto Pereira de Souza Junior, que chegou a ser preso, em março de 2008. A licitação é o Pregão Eletrônico 017/2015, realizado pela Secretaria Executiva de Educação (Seduc), para a contratação de um curso móvel de inglês, para 110 mil alunos das escolas públicas estaduais. 
Quem venceu o pregão foi a empresa BR7 Editora e Ensino Ltda., que pertence a Alberto Pereira. A outra sócia da empresa, a advogada Angélica Laucilena Mota Lima, também acusada pelas mesmas fraudes no esquema de acidentes, e que atua em pelo menos 280 processos de seguros e acidentes de trânsito.

O contrato fechado com a Seduc renderá os quase R$ 200 milhões à BR7 Editora ao longo de um ano. A homologação do pregão (que foi realizado no sistema de Registro de Preços) foi publicada no Diário Oficial da União, no dia 29 de junho, e incomodou a concorrência de Alberto. Outra empresa que também participou da licitação, a Positive Idiomas, ajuizou, em 9 de julho, mandado de segurança para tentar impedir a assinatura do contrato. A Positive aponta várias irregularidades no processo. Segundo a firma, o atestado de capacidade técnica apresentado pela BR7 é nulo. Além disso, a proposta apresentada Positive é R$ 130 milhões menor do que a da BR7. 

A própria Ata do Pregão, aliás, dá margem a suspeitas: pelo menos sete empresas apresentaram propostas menores que a da BR7, mas foram desclassificadas ou recusadas pelo pregoeiro. Uma delas, a Real&Oliveira Serviços Estratégicos, chegou a afirmar que havia indícios de direcionamento da licitação, para beneficiar a BR7, conforme ata do pregão.

PREFEITURAS

Além desse contrato, outras seis prefeituras, algumas delas de municípios pobres, também já assinaram contratos milionários com a BR7 Editora, para cursos móveis de inglês, para alunos do ensino fundamental. Em grande parte, com dinheiro do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) e, em muitos casos, sem licitação. 

Veja-se o exemplo do município de Augusto Correa, cidade de 40 mil habitantes no Nordeste paraense, cujo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) da educação é de apenas 0,380, um dos 150 piores do Brasil. Lá, o “kit educativo de inglês” da BR7 Editora, com “três livros didáticos, 3 DVDs, recursos interativos online, sala de aula móvel e uma equipe de professores”, custará à prefeitura R$ 1,8 milhão, segundo o Diário Oficial da União, de 23 de fevereiro deste ano, Seção 3, página 194. E tudo feito sem licitação, apesar de o pregão da Seduc comprovar que há pelo menos uma dezena de empresas que realizam o mesmíssimo serviço oferecido pela BR7.

No município do Acará, também no Nordeste paraense, cujo IDH Educação (0,332) é um dos trinta piores do Brasil, o kit educativo de inglês da BR7 também custará R$ 1,8 milhão. Em Ponta de Pedras, na ilha do Marajó, com IDH Educação de 0,412, o contrato ficou em R$ 1,53 milhão. Em Tomé-Açu, no Nordeste do Pará e IDH Educação de 0,424, o contrato é de R$ 1,8 milhão. Em Inhangapi - IDH Educação 0,456 -, o kit custará R$ 900 mil e o processo foi feito sem licitação. Em Marituba, na Região Metropolitana de Belém, ficará em R$ 1,8 milhão, também com inexigibilidade. Total dos contratos nesses seis municípios: mais de R$ 9,6 milhões. De todos esses, só em Ponta de Pedras é que consta, no Diário Oficial da União, a realização de um Pregão Presencial.

À exceção de Marituba, todos os contratos com essas prefeituras foram fechados no primeiro semestre deste ano. No entanto, quem forneceu o atestado de capacidade técnica apresentado pela BR7 no Pregão da Seduc foi a Prefeitura do Acará. A situação fica ainda mais grave. Do atestado de Acará, consta que a empresa de Alberto Pereira forneceu os materiais e serviços contratados. O problema é a vigência do contrato entre a BR7 e a prefeitura: de 10 de fevereiro a 31 de dezembro de 2015. Ou seja, a Prefeitura de Acará atestou a sua satisfação com a empresa antes mesmo da metade do contrato. E é a esse tipo de empresa que o Governo do Pará quer fechar um negócio de quase R$ 200 milhões.

Duas empresas, o mesmo endereço e sócios em comum

A BR7 foi registrada na Junta Comercial do Pará (Jucepa) em 21 de novembro do ano passado, mas o alvará de funcionamento só foi expedido pela Prefeitura de Belém em 30 de abril deste ano – ou seja, dois meses antes do Pregão da Seduc. Sua primeira denominação foi BR – Editora de Livros Ltda (CNPJ: 21.448.787/0001-29) e o capital social era de apenas R$ 400 mil. Noventa por cento das quotas pertencem a Alberto Pereira de Souza Junior e o restante (1%) a Angélica Laucilena Mota Lima. Ambos residem no mesmo endereço, em Belém. O objeto societário era a edição e comércio de livros, além do comércio varejista de livros e jornais e de “atividades de bibliotecas e arquivos”.

No dia 22 de maio deste ano, ou seja, menos de um mês antes do Pregão da Seduc, a empresa incluiu no objeto societário o desenvolvimento de programas de computador; a consultoria em tecnologia da informação e, é claro, o ensino de idiomas e até “escola de ensino fundamental completa”, embora não se saiba se possui credenciamento para tanto. A firma também mudou de nome e passou a se chamar BR7 Editora e Ensino Ltda. Um balanço patrimonial indica que fechou o ano passado com um Ativo de pouco mais de R$ 933 mil, entre dinheiro e imobilizado (móveis, instalações, máquinas e equipamentos). Os gastos com luz (R$ 637,96), telefone (R$ 555,51) e combustível (R$ 119,97) foram até inferiores aos de uma família de classe média, em igual período. Nada disso impediu, no entanto, que ganhasse uma licitação do Governo do Estado de quase R$ 200 milhões. E, por incrível que pareça, nem é isso o mais esquisito.

Desde a sua abertura, a BR7 funciona na Rua dos Pariquis, 1981- Fundos, no bairro de Batista Campos, em Belém. Com exceção do “Fundos”, é o mesmíssimo endereço da IHOL Escola de Idiomas S/S Ltda (CNPJ: 17.423.186/0001-94). A IHOL foi aberta em novembro de 2012 e tem como sócia administradora a advogada Angélica Laucilena Mota Lima, também sócia da BR7. Na Receita Federal, aliás, há um telefone de contato de ambas as empresas: (91) 8335-0007. No site da IHOL, a BR7 figura como integrante do grupo. E lá, também, aparece o projeto You Live English, para ensino de inglês a alunos das redes públicas municipais.

Do site da Prefeitura de Marituba, que fechou contrato com a BR7, consta que o ensino de inglês é uma parceria com a IHOL, por meio do You Live English. No entanto, nem no pregão da Seduc nem nos contratos entre a BR7 e as prefeituras paraenses, há qualquer referência a IHOL, ou à possibilidade de que seja ela, na verdade, a executar tais serviços.

Empresário admite que é processado por fraudes

Na noite de sexta-feira (7), o DIÁRIO falou com o empresário Alberto Pereira de Souza Junior, da BR7 Editora. Ele admitiu que é processado na Justiça, por suspeitas de integrar uma quadrilha de fraudadores de seguros DPVAT. No entanto, afirmou inocência: “Isso não tem fundamento. Qualquer pessoa pode ser acusada de qualquer coisa”. Além disso, Alberto Pereira entende que tais acusações “não têm nada a ver” com o fato de ter vencido uma licitação milionária do Governo do Pará. “Participei de uma licitação com 13 concorrentes do Brasil inteiro”.

Ele salientou, ainda, que os R$ 198 milhões licitados pela Seduc constam apenas de uma Ata de Registro de Preços, o que significa que a despesa pode nem atingir esse patamar. Alberto Pereira confirmou que a IHOL, que funciona no mesmo endereço da BR7, também pertence a ele, mas está em nome da sua mulher, a advogada Angélica Laucilena. Segundo ele, a IHOL já se espalhou, por meio de franquias, por todo o Brasil. O empresário confirmou, ainda, que era, de fato, um dos donos da Paramed e do escritório ALS Seguros, Advocacia e Consultoria, empresas acusadas pela polícia e pelo Ministério Público de fraudarem o DPVAT. Apesar de tudo, ele afirma: “Não fiz nada de errado”. O governador Simão Jatene, ao que tudo indica, acredita.

Dol

7 de jul de 2015

Dilma sanciona Estatuto da Pessoa com Deficiênci

A presidenta Dilma Rousseff sancionou nesta segunda-feira (6) a Lei Brasileira de Inclusão – Estatuto da Pessoa com Deficiência, espécie de marco legal para pessoas com algum tipo de limitação intelectual ou física.

O texto, aprovado em junho pelo Congresso Nacional, classifica o que é deficiência, prevê atendimento prioritário em órgãos públicos e dá ênfase às políticas públicas em áreas como educação, saúde, trabalho, infraestrutura urbana, cultura e esporte para as pessoas com deficiência.

O ministro de Direitos Humanos, Pepe Vargas, disse que o estatuto vai consolidar e fortalecer o conjunto de medidas do governo direcionadas às pessoas com deficiência, mas disse que o cumprimento da lei também será responsabilidade de estados e municípios.

“Agora, com o estatuto, temos uma legislação que precisa ser implementada na sua integralidade. Não é só uma responsabilidade da União, é também [responsabilidade] dos estados, municípios e da sociedade zelar pelo cumprimento do estatuto”, avaliou. “O Brasil se insere entre os países que têm legislação avançada e importante na afirmação dos direitos da pessoa com deficiência”, acrescentou.

O presidente do Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Conade), Flávio Henrique de Souza, lembrou que o Brasil tem 45 milhões de pessoas com algum tipo de deficiência e disse que a entidade vai cobrar e fiscalizar o cumprimento do estatuto. “O Conade estará atento a todas as questões, porque essa é uma etapa que conquistamos junto com o governo. Essa conquista não é boa somente para as pessoas,  para o Brasil, porque o Brasil mostra que tem discussão, tem acesso, tem parceria e que essa pauta coloca as pessoas com deficiência, de uma vez por todas, dentro do tema dos direitos humanos.”

Entre as inovações da lei, está o auxílio-inclusão, que será pago às pessoas com deficiência moderada ou grave que entrarem no mercado de trabalho; a definição de pena de reclusão de um a três anos para quem discriminar pessoas com deficiência; e ainda a reserva de 10% de vagas nos processos seletivos de curso de ensino superior, técnico e tecnológico para este público.

Para garantir a acessibilidade, a lei também prevê mudanças no Estatuto da Cidade para que a União seja corresponsável, junto aos estados e municípios, pela melhoria de condições de calçadas, passeios e locais públicos para garantir o acesso de pessoas com deficiência.

Agência Brasil

5 de jul de 2015

Verão é a época para pipas, papagaios e rabiola

Elas são mais do que uma brincadeira. Quem as vê coloridas no céu azul do nosso verão talvez não perceba que as pipas, rabiolas e papagaios são também artesanato, paixão, atividade física e diversão que resistiu aos tempo com glória, dando asas à imaginação.

Heitor Salgado Monteiro é um desses que não para de olhar para o alto nesta época do ano. Ele tem 13 anos e, quando nasceu, as crianças já não brincavam mais de amarelinha, peão ou bandeirinha, ou talvez brincassem bem menos do que no tempo dos seus pais e avós. Ele tem muitos brinquedos, computador, videogame, mas se apaixonou mesmo pela pipa. 

“Desde criança meu pai me levava para empinar pipa. Acho que com 4 ou 5 anos eu já as colocava no céu. O que acho mais bacana é dar o laço, cortar o outro... É uma sensação de alegria, de disputa com os colegas da rua”, diz o morador do bairro do Coqueiro, em Ananindeua, que não vê a hora de ir até Mosqueiro, balneário paraense dos mais disputados nas férias de julho, para empinar com os colegas. “Lá o céu é mais azul e não tem prédio para atrapalhar”, explica. 

Para ele, a interação com os amigos é um atrativo a mais para trocar o sofá e o videogame pela área de lazer do seu prédio. “Nas férias o que mais faço é jogar videogame, mas acho muito mais bacana quando todo mundo vai lá embaixo empinar pipa. Entre ficar jogando sozinho e ir com meus amigos fazer competição, prefiro mil vezes a pipa. A gente disputa quem corta mais e eu já ganhei porque cortei sete pipas num dia só”, orgulha-se. 

Um olho no céu, outro no asfalto

O adolescente Fábio Vitor Silva, 16 anos, não desgruda os olhos do céu nem na hora de dar entrevista. Morador do bairro do Curió, periferia de Belém, ele e os amigos não se intimidam com o sol quente e invadem a avenida João Paulo II para brincar. 

“Desde infância fazemos isso. O mais legal é dar um laço e aparar [pegar] a pipa que você cortou”, diz o adolescente. Ao lado dele, Cristiano Tavares, 14 anos, em uma fração de segundos assume o controle da pipa e a tira do ar antes que ela seja cortada. “Acabei de perder uma rabiola; não podemos perder essa”, argumenta.

Não muito longe dali, Aldair Paraense, 25 anos, empina a sua com um carretel imponente, grande e cheio de desenhos. “O bom empinador de pipa escolhe as mais bonitas e coloridas para cortar, as feias você nem se esforça para aparar”, diz ele. “Não tem idade para empinar e eu não sei porque essa atividade resiste ao tempo e outras brincadeiras não. Acho que é porque é emocionante. Tem até um aplicativo que você baixa no celular para empinar virtualmente, mas nunca vai ser a mesma coisa. Pretendo ensinar meu filho a empinar como eu”, diz o jovem, que é pai de um garoto de 3 anos que deverá herdar a mesma paixão. 

Parece igual, mas não é.

(Diário do Pará)

24 de jun de 2015

Você conhece o Canapum?

Physalis angulata é a espécie nativa no nordeste do Brasil. Originária da região Amazônica e dos Andes, a physalis possui variedades cultivadas na América, Europa e Ásia. Tem tudo para ser considerada exótica: nome, aparência e preço. Apesar disso, no Norte e Nordeste do país é comum nos quintais e é conhecida por nomes que não podiam ser mais brasileiros: canapum, joá-de-capote, saco-de-bode e mata-fome. Essa variedade nativa é a Physalis angulata, da grande família das solanáceas, a mesma do tomate, da batata, do pimentão e das pimentas.

As frutas são delicadas, pequenas e redondas, com a parte comestível protegida por uma delicada folha seca em formato de balão, assemelhada ao papel de arroz. A coloração vai do amarelo ao verde, passando pelo vermelho.

Seu lado medicinal não deixa a desejar: é conhecida por purificar o sangue, fortalecer o sistema imunológico, aliviar dores de garganta e ajudar a diminuir as taxas de colesterol. A população nativa da Amazônia utiliza os frutos, folhas e raízes no combate à diabetes, reumatismo, doenças da pele, bexiga, rins e fígado. A planta tem sido estudada também por fornecer um poderoso instrumento para controlar o sistema de defesa do organismo, diminuindo a rejeição em transplantes e atacando alergias. Pesquisadores da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) da Bahia identificaram substâncias com esse potencial na Physalis angulata e já solicitaram patente sobre o uso delas. Testadas por enquanto em camundongos, espera-se que as fisalinas (chamadas de B, F e G) tenham um efeito tão bom quanto o das substâncias usadas hoje para controlar o sistema imune, mas com menos efeitos colaterais, quando forem usadas em pacientes humanos.

No Brasil, a variedade nativa é a Physalis angulata
No Japão, existe variedade de cor vermelha chamada hosuki. Lá, anualmente, acontece a Festa do Hosuki
As variedades capsicifolia, esquirolii, lanceifolia, linkiana e ramosissima encontram-se espalhadas pela América, Europa e Ásia

Apesar de ser bastante rústica e exigir poucos cuidados, é imprescindível o controle de insetos a partir da floração

Utilizando-se o tutoramento, como nos plantios de tomate ou pimentão, é possível obter uma produção maior em menos tempo

A physalis também é utilizada como tira-gosto em degustações de vinho

Na Austrália, a physalis rende uma conserva fina exportada para vários países

Em Paris é servida em restaurantes elegantes, coberta com chocolate

Estudos científicos recentes estão revelando que a planta apresenta forte atividade como estimulante imunológico e efeito antiviral contra os vírus da gripe e herpes. Contém alto teor de vitaminas A, C, fósforo e ferro, além de flavonóides, alcalóides, fitoesteróides, alguns recém descobertos pela ciência

A physalis é rica em carotenóides. Os carotenóides estão na lista dos compostos bioativos considerados funcionais, ou seja, aqueles capazes de prevenir doenças. São corantes naturais capazes de afastar males como cegueira noturna, catarata e até câncer

A fruta também pode ser encontrada no comércio em forma liofilizada em cápsulas.

Natureza da Caatinga

Sustentabilidade

Coalizão multissetorial lança propostas para uso sustentável de florestas, agricultura e clima.

Nesta quarta-feira (24), uma coalizão que reúne representantes de empresas, associações empresariais, organizações da sociedade civil e indivíduos lança um documento de 17 propostas para o poder público sobre proteção, conservação e uso sustentável das florestas, agricultura e mitigação e adaptação às mudanças climáticas.

A Coalizão Brasil Clima, Florestas e Agricultura apresenta também propostas com o objetivo de influenciar a Contribuição Nacional para o acordo climático de Paris.

Estabelecida em dezembro de 2014, a Coalizão agrega cerca de 50* entidades e é encabeçada pelo Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS), Diálogo Florestal, Instituto Ethos e Observatório do Clima. Participam diversas outras organizações do terceiro setor como o Instituto Democracia e Sustentabilidade (IDS), Greenpeace, WWF, Akatu, Rede Nossa São Paulo, Instituto Arapyaú e outras que foram se incorporando ao processo. (Veja lista completa aqui)

Além destas organizações, empresas como a Fibria, Suzano, Natura e Braskem estão envolvidas, bem como organizações representativas do setor agropecuário, como a Sociedade Rural Brasileira, e de pesquisa, como a Embrapa Florestal. De acordo com a Coalizão, 200 entidades participaram de alguma forma no processo de debate e redação do documento.

O grupo articula-se em três frentes temáticas - clima, florestas e agricultura - e propõe ações e mecanismos para: eliminar o desmatamento e exploração ilegal de florestas, massificar a agropecuária de baixo carbono, introduzir e ampliar pagamento por serviços ecossistêmicos, tornar predominante as fontes naturais renováveis na matriz energética brasileira e reduzir as emissões de gases de efeito estufa no Brasil (principalmente pelo uso do solo).

Alguns dos caminhos apontados pelo documento são a efetiva implementação do Código Florestal e da Política Nacional de Resíduos Sólidos, bem como a valorização da agropecuária sustentável e da floresta em pé.

As propostas para adaptação às mudanças climáticas ainda não constam do documento e serão apresentadas em um segundo momento.

Contribuições Nacionais para o Clima

Além das 17 propostas nessas três frentes, a segunda parte do documento que será lançado em evento em São Paulo dedica-se a oferecer propostas para as Contribuições Nacionalmente Determinadas (INDCs, em inglês).

As INDCs mostram o nível de comprometimento dos países que será levado para as negociações do novo acordo climático, na 21ª Conferência das Partes da ONU, em dezembro deste ano. O prazo esperado para os países do Anexo 1 era o primeiro trimestre do ano, e o prazo final para todos os países é até 1º de outubro, quando a ONU avaliará o impacto das propostas dos países.

Para alcançar efetivamente os princípios e metas apresentados pela Coalizão, serão necessários investimentos em energia renovável, produção agropecuária de baixo carbono por meio da intensificação da atividade e inovações tecnológicas no manejo da terra, das florestas e do solo.

Em resumo, as propostas da Coalizão Brasil Clima, Florestas e Agricultura para as INDCs brasileiras são:

Expressar uma redução efetiva de emissões para toda a economia já no primeiro período de compromisso do novo acordo.  
Expressar um aumento efetivo de remoções de GEE, de maneira clara e consistente com os potenciais brasileiros dos diferentes segmentos, incluindo remoções nas áreas florestal e agropecuária.
Expressar o compromisso de longo prazo do país em zerar as suas emissões líquidas conforme requerido pela ciência, no âmbito do cenário de 450 ppm do IPCC.  
Expressar o compromisso de manter as emissões per capita menores que a média global a partir de 2020.  
Expressar o entendimento de que, para o Brasil alcançar os objetivos previstos neste documento, o alcance dos níveis máximos de ambição do país é proporcional aos níveis máximos de implementação dos seguintes pressupostos:   
a. Acesso a políticas e incentivos econômicos reais, em níveis nacional e internacional, capazes de viabilizar o cumprimento de seus compromissos e de fazer com que a inserção do Brasil em arranjos globais se converta em oportunidade de aumentar a competitividade do país; b. Implementação de iniciativas nacionais e internacionais de precificação do carbono; c. As principais economias emergentes, atualmente fora do Anexo 1, devem ter, no mínimo, compromissos e objetivos similares, inclusive no longo prazo; d. Os países que atualmente integram o Anexo 1 assumam o compromisso de zerar suas emissões líquidas em meados do século.  
Segundo o documento, “uma INDC brasileira com essas características contribuiria de forma inequívoca com o objetivo global de reduzir expressivamente as emissões para limitar o aumento da temperatura global em até 2° C ou menos.”

IDS na Coalizão

O IDS tem participado ativamente das reuniões e da redação das propostas da Coalizão Brasil Clima, Florestas e Agricultura. Na Plataforma Brasil Democrático e Sustentável do IDS há pelo menos três Propostas de Prioridade Máxima que corroboram com os princípios e objetivos do grupo multissetorial: "Gestão estratégica dos Recursos naturais renováveis como principal vetor de desenvolvimento", "Política energética sustentável, eficiente e diversificada" e "Política externa pela sustentabilidade". Saiba mais sobre estas e outras propostas da Plataforma em nosso site.

21 de jun de 2015

MPE revela esquema em Castanhal

A RCA Serviços de Construção Ltda, que pertence a um tio do deputado estadual Milton Campos, do PSDB, pode ter faturado milhões em contratos irregulares com a Prefeitura de Castanhal. Na última terça-feira, durante a Operação “Querida Saúde”, promotores estaduais de Justiça apreenderam centenas de documentos na sede da empresa e na Secretaria de Saúde daquele município. A suspeita é de um esquema de fraudes licitatórias, para beneficiar a RCA, que contribuiu financeiramente para a eleição do prefeito Paulo Titan, em 2012, e para a campanha eleitoral da filha dele, Paula Titan, a deputada federal, no ano passado.

Ainda não se sabe o montante do suposto desvio de recursos. Mas tudo leva a crer que o escândalo é grande: na última sexta-feira, funcionários da SESMA de Castanhal foram flagrados por um popular enquanto queimavam documentos daquela secretaria. No entanto, a RCA não é a única empresa ligada ao PSDB que vem faturando alto naquela prefeitura. O DIÁRIO descobriu que a ESalles Construções, que pertence ao empresário Eduardo Salles, sobrinho do governador Simão Jatene, já recebeu, nos últimos dois anos, quase 800 mil. Isso sem falar no licenciamento irregular de um loteamento, com milhares de terrenos, que ele comercializa naquela cidade: o Salles Jardins.

Embora pertença ao PMDB, o prefeito de Castanhal apoiou a reeleição de Jatene, no ano passado. Em 2012, mais da metade do dinheiro da campanha de Titan foi doado por empresas ligadas ao sobrinho do governador e ao PSDB. Entre essas empresas estão a Apeú Veículos e o posto Marapar, que pertencem ao empresário Josiel Martins, amigo de longa data de Eduardo Salles e um dos mais ativos colaboradores dos tucanos no Nordeste do Pará. Sozinhos, Josiel e suas empresas doaram à campanha de Titan (que custou R$ 670 mil) quase R$ 300 mil. Outros R$ 100 mil vieram da família de Eduardo e de empresas ligadas a ela.

Devido ao toma-lá-da-cá típico das campanhas eleitorais, quem ficou com o controle da Sesma de Castanhal foi o PSDB. A primeira secretária de Saúde da cidade foi a assistente social Maria de Fátima Motta Salles, que é casada com o presidente do Instituto de Previdência Municipal, Jorge Salles, irmão de Eduardo. Ela foi sucedida no cargo pelo hoje deputado estadual Milton Campos, então vice-prefeito de Titan. A atual secretária de Saúde é a economista Maria Alice Leal Corrêa, que comandou a Saúde do município de Redenção na época do prefeito Mário Moreira, hoje também do PSDB.

PSDB NO COMANDO

E é essa Sesma de Castanhal, desde sempre controlada pelos tucanos, que está sendo alvo de uma verdadeira devassa do Ministério Público, devido a denúncias que envolvem de irregularidades no pagamento de plantões de servidores até fraudes em licitações. Segundo o procurador de Justiça Nelson Medrado, que participou da operação “Querida Saúde”, a RCA Serviços de Construção Ltda (CNPJ: 11.285.157/0001-27) tem como sócio-administrador o empresário Rubens Carlos Martins Pereira, que é tio do deputado Milton Campos. As informações iniciais dão conta que teriam sido empenhados em favor da empresa, em 2013 e 2014, mais de R$ 4,5 milhões. Desse total, R$ 3,3 milhões já teriam sido pagos.

Dol

17 de jun de 2015

Dilma terá que fazer defesa pessoal no TCU contra irregularidades nas contas

Os ministros do TCU (Tribunal de Contas da União) decidiram nesta quarta-feira (17) dar um prazo de 30 dias para que a presidente Dilma Rousseff se explique pessoalmente sobre irregularidades apontadas pelo órgão na prestação de contas do governo de 2014. Será a primeira vez que o tribunal convoca um presidente a se explicar.

A posição do relator das contas de gestão, ministro Augusto Nardes, de pedir explicações à Dilma, foi seguida por unanimidade pelos oito ministros votantes. O receio da corte de reprovar as contas sem ouvir a presidente era o de que o Palácio do Planalto recorresse à Justiça alegando não ter tido o amplo direito de defesa e derrubasse uma possível decisão contrária ao governo.

Em seu voto, lido por pouco mais de uma hora, Nardes afirmou que irregularidades cometidas no ano passado em relação aos gastos públicos impedem a aprovação das contas de Dilma.

"As contas não estão em condições de serem apreciadas em razão dos indícios de irregularidades. Não foram fielmente observados os princípios legais e as normas constitucionais", disse.

Antes da anunciar a decisão, ele fez um discurso duro sobre os problemas apresentados nas contas de 2014. "Todos devem se submeter ao império da Lei. Não podemos agir diferente se quisermos consolidar a democracia brasileira", afirmou.

FALHAS

Técnicos do TCU apontaram várias irregularidades, incluindo as chamadas "pedaladas" fiscais, que permitiram ao governo segurar despesas com ajuda dos bancos públicos que pagam, por meio de transferências, benefícios como Bolsa Família e Minha Casa, Minha Vida.

"É preciso dar um basta nisso", disse Nardes, apontando que em 2014 R$ 37 bilhões dessas dívidas foram escondidas.

"A Lei de Responsabilidade Fiscal não pode ser jogada pela janela."

No total, as dívidas escondidas pelo governo em 2014 com bancos e fornecedores chegam a R$ 256 bilhões.

O relator também apontou que o governo foi avisado de que teria que cortar despesas e, mesmo assim, aumentou gastos no último ano do governo, quando a presidente tentava a reeleição.

Atos pessoais de Dilma, como a emissão de decretos aumentando despesas sem autorização do Congresso, também foram considerados ilegais e colaboraram para o voto contrário de Nardes.

PRESSÃO

Os ministros sofreram fortes pressões ao longo da semana. Emissários de Dilma tentaram convencer o tribunal a aprovar as contas, enquanto integrantes da oposição, como o senador Aécio Neves (PSDB-MG) –que perdeu para Dilma a última eleição presidencial–, defenderam sua reprovação.

A rejeição das contas pode prejudicar a imagem externa do país, aumentando a desconfiança dos investidores sobre os números do governo, e criar dificuldades políticas, oferecendo nova justificativa para líderes da oposição que defendem o impeachment da presidente.

Seja qual for o resultado final do TCU, o parecer é encaminhado ao Congresso Nacional, onde os parlamentares podem manter ou alterar a decisão da corte.

CRÍTICAS

O relator foi duro em suas críticas ao governo, insinuando que faltou "verdade" nos gastos públicos.

"Qual o Brasil que queremos? Um Brasil que o Estado comanda tudo, para de investir e o país para, como estamos vivendo hoje? [Queremos] Um Brasil de credibilidade, de confiança, de respeito internacional nas instituições. Precisamos de verdade para realizar esse desejo. Verdade na gestão dos recursos públicos, na demonstração no emprego do dinheiro do povo brasileiro", disse.

Nardes atribuiu os problemas da economia nacional ao desrespeito com as contas públicas, já que o governo teve deficit em 2014 de R$ 22 bilhões nos seus gastos primários.

"O que mostramos leva a um círculo vicioso de baixo crescimento, inflação alta, despesa pública alta e investimento baixo, deficit fiscal, criando a incerteza que vivemos hoje", disse.

O ministro do TCU ainda elogiou o ministro Joaquim Levy (Fazenda), dizendo que ele "está tentando fazer consertos".

Educação guamaense

PME - Plano Municipal de Educação de São Miguel do Guamá acaba de ser aprovado neste momento por maioria dos votos na Câmara Municipal de Vereadores.

#2015 a 2025

11 de jun de 2015

Estado terá de explicar planos para segurança

Está programada para às 14h de hoje uma sessão especial na Assembleia Legislativa, que pretende discutir a segurança pública. Além dos deputados, também foram convidados a participar dos debates membros do Ministério Público, Defensoria Pública, Ordem dos Advogados do Brasil, Estado e da sociedade paraense.

A iniciativa partiu dos deputados Carlos Bordalo (PT), Iran Lima (PMDB) e Lélio Costa (PC do B), e o objetivo será discutir propostas para amenizar a onda de violência que toma conta do estado, e ouvir de cada órgão convidado o que cada um está fazendo para combater o crime, dentro de suas atribuições. O Tribunal de Justiça do Estado também vai estar representado na sessão, segundo confirmou Bordalo, em confirmação oficializada a ele pelo presidente do TJ, Constantino Guerreiro. 

Os deputados querem a presença do titular da Secretaria de Estado de Segurança Pública, o general do Exército Jeannot Jansen, para explicar se há algum plano de ação do governo para combater o crime e diminuir os indicadores que apontam o Pará como um dos estados mais violentos do país. Segundo os organizadores da sessão, o Governo do Estado precisa apresentar um plano consistente capaz de justificar a negativa do governador Simão Jatene em pedir o apoio da Força Nacional.

Um dos deputados da base aliada, Eliel Faustino (PSD), assegurou que o secretário participará da sessão. 

Segundo o estudo “Mortes Matadas por Armas de Fogo”, divulgado em maio deste ano pela Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura), com base no levantamento feito pelo Mapa da Violência mostra que ocorreu um forte crescimento da mortalidade na região Norte — 135,7% na década, mais que duplicando o número de vítimas no período. E o Pará figirava como um dos carro-chefe desse crescimento, mais que triplicando o número de mortes por armas de fogo no período.

O Pará ocupa a 10ª posição no país no ranking de mortes por arma de fogo. Foram 28,8 mortes por cada grupo de 100 mil habitantes em 2012. Em 2002 o Estado ocupava a 19ª posição nesta modalidade. Na década, o estado paraense registrou 150,9 mortes por 100 mil habitantes, posicionando o Pará na sexta posição entre os estados onde ocorre o maior número deste tipo de morte.

“Queremos uma resposta concreta e urgente. Precisamos dar uma resposta de estado. A bandidagem perdeu completamente respeito pela autoridade do Pará. Precisamos de policiamento ostensivo para que a gente possa devolver a paz à população. Esperamos que o governo do estado compareça”, declarou Bordalo.

(Diário do Pará)

25 de mai de 2015

Governo federal não repassa o dinheiro do Mais Educação para 15 estados do País e deixa milhares de estudantes sem aula

Colocado em prática em 2010, no primeiro ano de mandato da presidente Dilma Rousseff, como “estratégia do Ministério da Educação para induzir a ampliação da jornada escolar”, o programa Mais Educação foi uma das principais bandeiras da campanha da reeleição no ano passado. No entanto, levantamento feito por ISTOÉ verifica atraso na parcela referente ao segundo semestre de 2014 em secretarias de educação de 15 estados do País, o que está comprometendo a rotina escolar de milhares de alunos, obrigados a ficar fora das suas escolas. Em Aracaju (SE), por exemplo, dos 34 colégios registrados no programa apenas 16 conseguem manter as atividades. Manobras no orçamento municipal também são utilizadas, como em Vitória (ES), onde as escolas têm administrado o projeto com recursos da prefeitura “até onde é permitido por lei”, como define a própria secretaria, por meio de sua assessoria. “A falta do investimento do governo federal certamente trará limitações ao desenvolvimento do programa.”

A secretaria estadual do Piauí informa que o pagamento costumava ser feito em uma única vez no ano, mas acrescenta. “2014 foi um ano atípico e o recurso foi dividido em duas parcelas.” A segunda parte, a ser recebida entre dezembro e janeiro, está atrasada. Prevenidos, alguns gestores conseguiram economizar e mantém o atendimento integral com o que sobrou do primeiro semestre do ano passado. Não são maioria, nem suportarão por muito tempo. Maria Antônia Goulart, coordenadora de políticas e qualidade da educação da Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais, com sede em Santiago, no Chile, destaca sua apreensão. “Temos uma preocupação no esvaziamento das políticas de educação integral.”

Depois de cinco meses de atraso, algumas poucas escolas começaram a receber a verba, mas a situação deve demorar a se normalizar. Principalmente onde não há previsão de regularização de pagamento. A escola Monteiro Lobato, em Nova Iguaçu, era, até o ano passado, centro de referência da Baixada Fluminense, no Rio de Janeiro. Ali, mais de mil estudantes tinham aulas em período integral. Escolas de esporte, cursos de línguas estrangeiras e música eram ministradas por 40 monitores contratados. Com o atraso, Vânia Gonçalves, responsável pela gestão do turno extra, não teve opção. As atividades foram reduzidas e permaneceram apenas aulas de informática e reforços de português e matemática. A equipe do contra-turno agora se resume a três estagiários vinculados ao município que não conseguem atender um décimo do número anterior de alunos. “Nós que estamos na linha de frente servimos de para-raios das reclamações, como se fosse nossa culpa”, afirma a diretora-adjunta. E não são apenas os responsáveis que a procuram. Desempregados, muitos dos monitores visitam constantemente o colégio na esperança de retorno à ativa.

Experiências como essa se repetem por todo o País e emergem mesmo onde os gestores afirmam não haver problema. Na Bahia, a secretaria de educação diz em nota que “não consta registro de atraso de repasses para as escolas da rede estadual”. Mas o Comitê Territorial Baiano de Educação Integral Integrada conta outra história. Formado por secretários municipais, pedagogos e pais, o grupo publicou Carta Manifesto no dia 31 de março onde, em suas próprias palavras, expõe “inquietações frente ao silêncio e desarticulação do Ministério da Educação com relação aos encaminhamentos e fortalecimento do Programa Mais Educação”. A prefeitura de Salvador endossa. “Não houve repasse da verba por parte do Ministério da Educação. A última parcela de 2014 e a primeira de 2015 estão atrasadas.”

Nos poucos casos onde os alunos não sentem o impacto do atraso, o ensino integral já fazia parte da política local de educação, às vezes antes do Mais Educação. Em Belo Horizonte (MG), por exemplo, as aulas extras são ministradas por professores concursados, e não por monitores contratados, como é o padrão do programa. A secretaria municipal ainda aponta um segundo motivo para as crianças não serem tão afetadas. “O repasse das verbas federais representa apenas um décimo do montante de recursos investidos pela Prefeitura de Belo Horizonte (R$ 126 milhões por ano) em seu programa de Educação Integral”. Porto Alegre (RS) também tem política própria, mas a coordenadora do programa “Cidade Escola”, Maria Cristina Garavelo, se preocupa. “Os diretores ficam inseguros em aderir ao Mais Educação e depois ter que suspender as atividades.” Em resposta, o Ministério da Educação afirmou que “não há atraso em 2015, pois ainda não iniciou nenhuma das ações vinculadas ao programa”. Informou que foram liberados mais de R$ 24 milhões em março deste ano, “para regularizar o fluxo de 2014”.

Foto: Luciano Belford/Eleven 

20 de mai de 2015

Professores da UFPA anunciam greve Quarta-F

Professores da Universidade Federal do Pará (UFPA) anunciaram greve a partir do dia 28 deste mês.

A decisão foi tomada após assembleia geral da Associação de Docentes da UFPA (ADUFPA), realizada na manhã desta quarta-feira (20).

A categoria confirmou a deliberação da reunião dos docentes das Instituições Federais de Ensino (IFE), ocorrida no último final de semana, em Brasília. 

Com a confirmação do movimento grevista na UFPA, a reitoria será notificada e as atividades serão suspensas por tempo indeterminado, a partir do próximo dia 28.

De acordo com a ADUFPA, o Comando Local de Greve (CLG) vai ser instalado no dia 26 de maio, durante reunião na sede administrativa.

Um dia antes da deflagração da greve, no dia 27, a ADUFPA promoverá um café da manhã, a partir das 8h, nos portões da UFPA. Eles pretendem explicar os motivos do movimento grevista e mobilizar a categoria para adesão à greve.

“A greve é um chamado a categoria para defender o trabalho docente e a Universidade pública, lutando por melhores salários, reestruturação da carreira e contra os cortes de verbas, que reduziram mais de 30% o orçamento da UFPA”, afirmou a professora Fátima Moreira, da diretoria da ADUFPA.

Durante a assembleia, os docentes avaliaram a conjuntura de crise econômica e ajuste fiscal e receberam manifestações de apoio de estudantes e representantes dos técnico-administrativos e do Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica e Profissional (Sinasefe).

Um grupo de alunos de Licenciatura em Música fez uma apresentação musical no início da assembleia, como uma forma de apoio ao movimento.

Os docentes reivindicam, entre outros pontos, um reajuste linear de 27,3%, uma política de valorização salarial, a reestruturação da carreira e a reversão dos cortes de verbas na educação pública, que atingiram mais de 30% do orçamento das Universidades federais, prejudicando a execução de diversas ações, como viagens de campo, que foram canceladas, e a realização de obras, cujo prazo de entrega ficou incerto. 

Além dos docentes, os servidores técnico-administrativos também entrarão em greve, no mesmo dia. Ele reivindicam, também, reajuste de 27,3% e defendem, entre outros pontos, a rejeição do Projeto de Lei das terceirizações e a não efetivação das MPs 664 e 665, que retiram direitos dos trabalhadores. 

(DOL)

19 de mai de 2015

Saúde

Menino de 5 anos emociona lanchonete ao pedir para mãe comprar lanche para morador de rua

RIO - É normal que crianças de 5 anos façam perguntas - muitas que não são banais ou que os pais simplesmente não sabem responder. Como que o bebê chega à barriga da mãe? O que acontece quando nós morremos? A americana Ava Faulk passou por isso recentemente. O pequeno Josiah Duncan avistou um homem do lado de fora da lanchonete Waffle House, no Alabama, Estados Unidos. Ele estava sujo e segurava apenas uma sacola, ao lado de sua bicicleta. Confuso com a aparência dele, o menino começou a bombardear a mãe com perguntas.

“Ele é um morador de rua”, explicou Ava Faulk. Não satisfeito, ele retrucou: “E o que isso significa?”. “Bem, quer dizer que ele não tem uma casa”, a mãe continou. Ava escreveu um e-mail para a emissora local WSFA 12 News falando sobre a atitude do filho, incluindo as diversas dúvidas que a criança tinha. “Onde é a casa dele? Onde está a família dele? Onde ele guarda suas compras?”. Mas a mãe disse que uma coisa chateou ele em especial.

“Ele não tem comida”, o jovem lamentou. Após pedir para que Ava comprasse uma boa refeição para o homem, ele entrou e sentou à mesa, mas ninguém foi atendê-lo. Josiah, então, levou o cardápio até ele e falou que ele não conseguiria pedir sem um menu.

O cliente desconhecido inicialmente pediu um hambúrguer simples para desfrutar. Mas com um pouco de persuasão tanto de Josiah quanto de Ava, o homem faminto se sentiu confortável para pedir qualquer coisa que quisesse.

“Posso comer bacon?”, Ava lembrou-se dele perguntando. “E eu disse que ele podia ter o tanto de bacon que quisesse.”

Antes que o homem desse a primeira mordida, Josiah tinha mais uma atitude carinhosa guardada. Ele queria compartilhar sua fé com o estranho que havia acabado de conhecer.

“Deus, nosso Pai, Deus, nosso Pai, nós te agradecemos”, falaram juntos na frente de pelo menos 11 clientes. “Agradecemos a você pelas nossas muitas bênçãos, pelas nossas muitas bênçãos, amém, amém.”

Após muitas lágrimas de todos presentes, o morador de rua deixou o restaurante com o estômago cheio. E a memória desse dia vai durar no coração da mãe:

“Assistir ao meu filho tocar as 11 pessoas que estavam na Waffle House vai ser para sempre uma das maiores realizações como mãe que eu vou testemunhar. Você nunca sabe quem é o anjo na Terra, e quando a oportunidade vem você não deve nunca dar as costas para ela”.

Facebook

Menino de 5 anos emociona lanchonete ao pedir para mãe comprar lanche para morador de rua

RIO - É normal que crianças de 5 anos façam perguntas - muitas que não são banais ou que os pais simplesmente não sabem responder. Como que o bebê chega à barriga da mãe? O que acontece quando nós morremos? A americana Ava Faulk passou por isso recentemente. O pequeno Josiah Duncan avistou um homem do lado de fora da lanchonete Waffle House, no Alabama, Estados Unidos. Ele estava sujo e segurava apenas uma sacola, ao lado de sua bicicleta. Confuso com a aparência dele, o menino começou a bombardear a mãe com perguntas.

“Ele é um morador de rua”, explicou Ava Faulk. Não satisfeito, ele retrucou: “E o que isso significa?”. “Bem, quer dizer que ele não tem uma casa”, a mãe continou. Ava escreveu um e-mail para a emissora local WSFA 12 News falando sobre a atitude do filho, incluindo as diversas dúvidas que a criança tinha. “Onde é a casa dele? Onde está a família dele? Onde ele guarda suas compras?”. Mas a mãe disse que uma coisa chateou ele em especial.

“Ele não tem comida”, o jovem lamentou. Após pedir para que Ava comprasse uma boa refeição para o homem, ele entrou e sentou à mesa, mas ninguém foi atendê-lo. Josiah, então, levou o cardápio até ele e falou que ele não conseguiria pedir sem um menu.

O cliente desconhecido inicialmente pediu um hambúrguer simples para desfrutar. Mas com um pouco de persuasão tanto de Josiah quanto de Ava, o homem faminto se sentiu confortável para pedir qualquer coisa que quisesse.

“Posso comer bacon?”, Ava lembrou-se dele perguntando. “E eu disse que ele podia ter o tanto de bacon que quisesse.”

Antes que o homem desse a primeira mordida, Josiah tinha mais uma atitude carinhosa guardada. Ele queria compartilhar sua fé com o estranho que havia acabado de conhecer.

“Deus, nosso Pai, Deus, nosso Pai, nós te agradecemos”, falaram juntos na frente de pelo menos 11 clientes. “Agradecemos a você pelas nossas muitas bênçãos, pelas nossas muitas bênçãos, amém, amém.”

Após muitas lágrimas de todos presentes, o morador de rua deixou o restaurante com o estômago cheio. E a memória desse dia vai durar no coração da mãe:

“Assistir ao meu filho tocar as 11 pessoas que estavam na Waffle House vai ser para sempre uma das maiores realizações como mãe que eu vou testemunhar. Você nunca sabe quem é o anjo na Terra, e quando a oportunidade vem você não deve nunca dar as costas para ela”.

Facebook

10 de mai de 2015

Gêmeos são filhos de pais diferentes

Um exame de DNA provou que gêmeos são filhos de pais diferentes. Esse é um caso raríssimo que movimentou a Justiça de Nova Jersey, EUA esta semana, segundo informações do site IG. Após pedidos de exames de DNA, o Juiz Mohammad Sohail tomou a decisão de pensão alimentícia de gêmeos que têm pais diferentes. Segundo o juiz, isso é raro de acontecer, mas ele já encontrou dois outros processos semelhantes no país.

A gestação pode acontecer quando a mulher tem relações sexuais com dois homens no mesmo ciclo menstrual, e dois de seus óvulos são fertilizados separadamente por cada homem, de acordo com o “NY Daily News”.

O caso veio à tona quando a mãe pediu pensão para o homem que acreditava ser o pai de suas filhas, em janeiro de 2013. Um teste de DNA mostrou que o homem era o pai de uma das gêmeas, mas não da outra. 

Em depoimento no tribunal, a mãe disse que teve relações sexuais com dois homens em um espaço de cerca de uma semana. O juiz determinou, nesse caso, que o homem pague 28 dólares, cerca de R$ 90, por semana e o caso foi resolvido.

6 de mai de 2015

Feliz Aniversário

Não poderia deixar essa data "passar em branco", pois hoje o dia está mais alegre, mais brilhante, pois aniversaria um grande homem, um grande pai e um grande empresário. Que Deus te abençoe sempre e te cubra de muita saúde e felicidade.

Feliz Aniversário Jairo "Otica"

23 de abr de 2015

Atleta paraense de 11 anos é campeão em Abu Dhab

Italo Junior, 11 anos, atleta paraense de jiu-jitsu e judô, conquista um titulo inédito para o Estado do Pará, o de Campeão Mundial de Jiu-Jitsu de Abu Dhabi, o maior evento do mundo na modalidade que acontece na Capital dos Emirados Árabes.

Após a preparação para o Pan Kids de Jiu-Jitsu 2015, que ocorreu na California, em fevereiro, onde o atleta obteve a 3ª colocação, teve a preparação conjunta para o Campeonato Brasileiro de Judô, a uma semana, onde o atleta também obteve a 3ª colocação. O atleta contou com treinos especificos para as modalidades aliados a musculação duas vezes por semana, além de suplementação para poder dar conta de toda essa rotina puxada.

O atleta enfrentou o angolano Felipe Jorge Oliveira da Equipe Gracie Barra Angola na semifinal, e o argeliano, radicado Inglês, Hamza Seif Bougoffa da Equipe Roger Gracie Academy.

Italo Junior estava inscrito na Categoria Junior - Faixa Laranja- Até 38.5 Kg, mas como não haviam inscritos em sua categoria, foi migrado para a categoria Junior - Faixa Laranja - Até 46.5 Kg, duas acima da sua.

DIFICULDADES

Ítalo Júnior ainda passou por alguns apuros fora do tatame antes de desembarcar em Abu Dhabi. O atraso no voo de 9 horas de duração que partiria de Miami com destino a Paris e a perda da bagagem.

A mala com todas as roupas do atleta e de seu pai, assim como o ítem mais importante neste momento, o kimono e a faixa, havia sido perdida pela companhia aérea. Assim, tiveram que dispor de valores que estariam destinados a viagem para a aquisição de roupas.

Mesmo assim, o atleta conseguiu conquistar a medalha de ouro para o Estado do Pará. Fato inédito de um atleta de apenas 11 anos.

Dol

About