26 de dez de 2014

Marujada em Bragança

Homenagem a São Benedito chega ao ápice hoje


Homenagem a São Benedito chega ao ápice hoje  (Foto: Thiago Araújo/Arquivo)


Os bragantinos vivem hoje o ápice da 216ª Festividade de São Benedito, quando a marujada dança trajando saias vermelhas e a procissão sai pelas ruas, na maior demonstração de fé no município de Bragança.
Apesar da grande extensão do calendário de celebrações dedicadas ao santo, ocorrendo ao longo de toda esta semana, é hoje, 26 de dezembro, que há a maior concentração de devotos, turistas e jornalistas por metro quadrado, disputando cada espaço em uma colorida e animada homenagem. 
Desde que o dia vem raiando, já se pode ver marujos e marujas vindos de todos os bairros em direção à igreja de São Benedito, edificação barroca localizada no largo homônimo, para a missa que inicia a programação, às 7h.
A igreja fica às margens do rio Caeté, compondo o principal cartão-postal urbano de Bragança, juntamente com o casario português disposto à orla da cidade.
Às 9h tem início à dança bicentenária no Teatro Museu da Marujada onde, durante o restante de manhã, a marujada dança ao ritmo do xote bragantino, da mazurca, do retumbão, do chorado, da valsa, da roda e da contradança, num sincretismo cultural que inclui elementos musicais trazidos da Europa e da África, construindo os pilares dessa manifestação introduzida pelos escravos.
Hoje é o dia também de vestir o traje principal. Durante os ensaios realizados nas noites dos dias pares - de 18 a 24 de dezembro -, as marujas usam saias estampadas e, no dia 25, quando se apresentam pela primeira vez ao público, elas usam saias azuis celestes, para celebrar o nascimento do Menino Jesus. Já a roupa vermelha usada no dia de São Benedito, padroeiro dos fundadores do evento, é para simbolizar a sangrenta escravidão. 
(Diário do Pará)

About