20 de out de 2014

Traficantes usam piscina olímpica

Traficantes ostentam fuzis dentro da piscina da vila olímpica de Honório Gurgel

Traficante dentro da favela da Lagartixa aponta fuzil para a Estrada de Botafogo
     
 Na Vila Olímpica Félix Mielli Venerando, em Honório Gurgel, quando a população não está usando as instalações para o lazer e a prática de esportes, o tráfico toma conta. E ainda registra a ousadia para postar nas redes sociais. Uma imagem, que faz parte de uma investigação da 39ª DP (Pavuna), mostra bandidos submersos ostentando três fuzis dentro da piscina da vila olímpica — inaugurada em 2012 para formar talentos para os Jogos de 2016. De acordo com agentes da distrital, os traficantes que aparecem na foto — feita há uma semana — são oriundos do Complexo da Pedreira e invadiram a Proença Rosa há duas semanas.

     A Secretaria municipal de Esportes e Lazer, responsável pelas vilas olímpicas da cidade, confirma que o local foi invadido por bandidos. Entretanto, segundo nota enviada pelo órgão, “no momento da invasão, a vila se encontrava fechada e sem ninguém”. A secretaria também alega que “as atividades foram normalizadas, e já houve reforço na segurança do local”.


Traficante dentro da favela da Lagartixa aponta fuzil para a Estrada de Botafogo Foto: Reprodução
      A guerra entre facções pelo controle da favela também mudou o horário de funcionamento da vila olímpica, segundo relatos de moradores ouvidos pelo EXTRA. Só nos últimos sete dias, três mortes na região foram registradas — uma delas, de uma moradora, Cirlene das Graças Lacerda Ribeiro, por bala perdida.
     — Faço hidroginástica na piscina. Antes da invasão, a vila olímpica ficava aberta até as 20h. Agora, as atividades só vão até as 18h. Todos os horários da noite foram cancelados por causa dos tiroteios — conta uma moradora, que pediu para não ser identificada.

     Na madrugada de ontem, um novo tiroteio assustou os moradores da favela. Traficantes do Chapadão, em Costa Barros, tentaram retomar o controle da região. À tarde, a PM reforçou o patrulhamento.

     A piscina da vila olímpica também é citada num áudio investigado pela 39ª DP. Na gravação, feita após a tomada da Proença Rosa, um homem, que se identifica como Celso Pinheiro Pimenta, o Playboy, chefe do tráfico da Pedreira, provoca a facção rival.
“Adorei a piscina, esculachou. Mó complexão, tá tudo dominado”, diz.
     Os agentes já têm uma prova de que a voz é de Playboy. Alan Souza de Lima, de 20 anos, preso na favela, afirmou, em depoimento, que é integrante da facção de Playboy e que reconhece a voz do bandido. No áudio, o homem diz que vai tomar a favela Jorge Turco, em Rocha Miranda.



O cartaz com a foto de Playboy
O cartaz com a foto de Playboy Foto: Divulgação

About