25 de set de 2014

TRE analisa denúncia de fraude em pesquisa Ibope

A denúncia sobre os indícios de fraudes na pesquisa eleitoral de número 00026/2014-TRE, feita pelo Ibope e divulgada no último dia 13, para verificar a disputa ao governo do Estado, já foi formalizada pela advogada Ângela Serra Sales, da coligação ‘Todos pelo Pará’, que apurou diversas irregularidades cometidas pelo instituto.


Entre elas, está o fato do Ibope ter informado que aplicaria o questionário em 44 municípios paraenses, quando na realidade fez isso em apenas 17, deixando de fora cidades importantes como Marabá e Altamira, que estavam relacionadas. Além disso, não levou em consideração a distribuição dos eleitores nas cidades paraenses – que é um dos critérios técnicos fundamentais para se obter um resultado mais próximo da realidade. Ao deixar de cumprir com este princípio, a pesquisa pode ter números falsos, que acabam por influenciar a opinião dos eleitores.

Para se ter uma dimensão do problema, o Ibope, ouviu 114 pessoas em Salinópolis, na região nordeste paraense. A cidade possui uma população de apenas 38.819 habitantes, segundo o IBGE. Deste total, 28.441 são eleitores, segundo o Tribunal Superior Eleitoral. O prefeito da cidade é do mesmo partido do candidato a reeleição, Simão Jatene.
Já em Santarém, na região do Baixo Amazonas, que possui 290.521 habitantes, sendo 201.964 eleitores, o Ibope entrevistou somente 56 pessoas. Ou seja, metade do número do que foi feito em Salinópolis, apesar de ter uma populção sete vezes maior.

A advogada havia recorrido ao Tribunal para solicitar os arquivos da pesquisa, e tão logo os documentos lhe foram entregues e analisados, as irregularidades e o descumprimento das normas da Justiça Eleitoral começaram a aparecer.

Em outro indício de fraude, Belém, com 1.432.844 habitantes e 1.023.169 de eleitores, teve apenas 169 entrevistas, ou seja, 57 a mais do que em Salinópolis. Mais um exemplo de que não foi levado em consideração o critério da proporcionalidade da distribuição de eleitores. Caso a Justiça acate a denúncia, o Ibope e seus dirigentes deverão responder a processo por crime eleitoral e ainda por fraude.

Saiba como o Ibope manipulou a pesquisa:

1. No dia 8 de setembro, o Ibope requereu registro de pesquisa para governador do Pará junto à Justiça Eleitoral. De acordo com este registro, o Ibope ouviria 812 eleitores em 44 cidades do Pará.

2. Mas o Ibope pesquisou apenas 17 cidades, deixando de foram importantes centros como Marabá e Altamira.
3. Deu mais importância a Salinópolis, onde ouviu 112 pessoas, do que Santarém, onde foram ouvidas apenas 56 pessoas. Em Ananindeua, segunda cidade do estado, apenas 49 pessoas foram entrevistadas.

4. O resultado da pesquisa a acabou sendo distorcido, porque o Ibope não respeitou a importância de cada cidade no eleitorado. A pesquisa só pode ser considerada correta se obedecer os critérios de proporcionalidade, o que não foi feito.

(Diário do Pará)

About