22 de set de 2014

Helder Barbalho escapa de entrevista ao vivo nesta segunda

 

O candidato ao Governo do Estado, Helder Barbalho (PMDB), não compareceu à entrevista agendada com o ORM News e Rádio O Liberal CBN há mais de um mês nesta segunda-feira (22). De acordo com a assessoria de Barbalho, ele precisou fazer uma viagem de urgência para trabalhos da campanha eleitoral. Leia a nota na íntegra: 


"A reunião do candidato Helder Barbalho com a coordenação nacional de campanha, em São Paulo/SP, anteriormente marcada para a tarde de hoje, foi antecipada. Por esta razão, o candidato não poderá participar da entrevista marcada na rádio O Liberal/CBN".

No horário reservado ao candidato para a entrevista foram lidas as perguntas que seriam feitas a ele. Veja abaixo:
Cleiton César - O seu candidato a vice, Lira Maia, do DEM, é a favor de dividir o Pará... e dentro da coligação que  apoia seu partido PDB, também há pessoas contra. O Senhor mesmo ainda não respondeu se é a favor ou contra a divisão do Estado do Pará. Por isso, candidato,eu lhe pergunto, o senhor é contra ou a favor da divisão do estado do Pará? Sim ou não?  
 
Como o senhor pretende manter a unidade da administração pública deste estado rico, com tantas divergências nas coligações que o apoia?

Karla Soares – O senhor tem ressaltado em sua campanha eleitoral que é um representante da chamada nova política. No entanto, o senhor vem de uma família de políticos. Seu pai já foi governador, atualmente é senador, sua mãe é deputada federal e o senhor já exerceu os cargos de deputado e prefeito pelo PMDB, além de ter o apoio nesta eleição de representantes da velha política como o do o ex-presidente Lula e o ex-deputado Paulo Rocha, ambos do PT. Como o senhor pode ser um nome da nova política tendo raízes na velha política?

Cleiton César -  Em 2011, o Sintepp pediu ao Ministério Público do Estado que investigasse denúncia sobre funcionários fantasma na Prefeitura de Ananindeua, lotados na SEMED de Ananindeua. E ainda durante a sua gestão à frente de Ananindeua, o Ministério Público do Estado ofereceu denúncia contra o senhor, em virtude da falta de repasse ao Instituo de Previdência dos Servidores do Município de Ananindeua, das contribuições descontadas das remunerações dos servidores no ano de 2009. Essas informações estão no próprio site do Ministério Público Estadual. Como o senhor pretende tratar os servidores caso seja eleito?

Karla Soares -  Foi noticiado que o senhor responde a três processos movidos pelo Ministério Público Federal e o senhor rebateu a reportagem em uma rede social citando que um dos processos resulta de auditoria realizada pelo Ministério da Saúde, que investigou e o senhor prestou todas as informações e apresentou documentos. No entanto, esse processo continua em tramitação na Justiça Federal com o senhor respondendo por improbidade administrativa na área da Saúde. Diante disso, como o senhor pretende tratar da saúde do Estado se quando prefeito de Ananindeua o senhor não soube administrar bem os recursos dessa área?

Cleiton César - Candidato, o senhor cometeu, segundo auditoria da Controladoria Geral do Município, nepotismo na secretaria  Municipal de Cidadania e Assistência ao trabalho (Semcat) à época comandada por Daniela Lima Barbalho, sua esposa, a cunhada Isabela de Lima, contratada como DAS-09 e contratou sua sogra Maria José Valle para ministrar palestras. O prejuízo para a secretaria foi de 400 mil reais, candidato.  Como o senhor explica essa sua atitude de contratar parentes? Se eleito governador, o senhor vai contratar e nomear seus parentes para as secretarias de Estado?

Cleiton César – Durante o seu período à frente da Prefeitura de Ananindeua, o senhor não conseguiu manter a unidade dentro da corporação dos Guardas Municipais. Muitos deles, inclusive, desfilaram no carnaval com nariz de palhaço. E depois daquele ato, muitos foram exonerados pela sua administração. Como o senhor pretende administrar a segurança pública do estado?
Como o senhor pretende combater a questão da entrada de drogas pelas fronteiras do Pará, uma vez que é uma questão nacional.

Cleiton César - O senhor disse que pretende fazer investimentos nas escolas do Pará, mas quando esteve à frente da prefeitura de Ananindeua, enfrentou greve de professores, insatisfeitos com sua gestão. E o município ficou abaixo da média nacional do Ideb, Índice de Desenvolvimento da Educação Básica em sua gestão. Como o senhor pretende lidar com essas questões caso vença as eleições?

Karla Soares - Candidato, Ananindeua, o município que o senhor governou teve o saneamento considerado como o pior do país. O senhor negou que fosse o responsável, porque havia repassado a responsabilidade para a Cosanpa por meio de convênio. Entretanto, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) confirmou que o senhor continuava sendo o responsável pelas obras e nada fez. Como o senhor pretende lidar com a questão do saneamento no Pará?

Cleiton César – Houve muitas denúncias de moradores de Ananindeua publicadas, inclusive, no blog Palavra Livre do Jornalista Waldercleydes Magalhães, de que o senhor teria colocado no Demutran – Departamento de Trânsito de Ananindeua, um empresário paulista Francisco de Mola Neto, vulgo China, acusado de diversos crimes em São Paulo. Aqui em Belém, ele era acusado de coagir os donos dos micro-ônibus e foi responsável em implantar o Passe Inteligente (PÊ I), que causou transtornos à população de Ananindeua, obrigando os moradores a pagar um preço diferente daqueles que detinham o validador do PÊ I. Diante desse transtorno causado, como o senhor pretende administrar a área do transporte em todo o estado? 

Cleiton César - O senhor, quando prefeito de Ananindeua, teve liberado um recurso de 600 mil reais para a construção do estádio de Ananindeua. Esse dado está no Portal da Transparência. No local existe apenas um pedaço da arquibancada e muito mato. Além disso, o estádio foi construído a menos de 8 quilômetros do Mangueirão. Por que isso, candidato?

About